Notícias

Empate injusto

Bahia e Grêmio ficam no 2 a 2 em Porto Alegre

06 out 2018 | 23H41

Em um jogo no qual atuou com muita raça e vencia o Grêmio por 2 a 0, fora de casa, até os 38 minutos do 2o tempo, o Bahia sofreu com decisões gravíssimas da arbitragem e viu o time gaúcho empatar a partida nos momentos finais, em Porto Alegre, na noite deste sábado (6).

O Esquadrão, que atuou com com um atleta a menos desde os 10 minutos da etapa final, numa injusta expulsão do zagueiro Jackson, alcançou 31 pontos na tabela de classificação, na 14a posição.

A equipe terá agora uma semana para trabalhar para seu próximo compromisso, sábado (13), contra o Paraná, no estádio de Pituaçu. Para este jogo o Tricolor não contará com o lateral Nino, que recebeu seu 3o cartão amarelo, e o zagueiro Jackson, expulso, mas em compensação terá o retorno do também defensor Douglas Grolli, que cumpriu suspensão.

O Bahia abriu o placar logo aos 3 minutos de bola rolando. Léo bateu o lateral com força na área, Nilton se antecipou ao zagueiro e desviou de cabeça para Elber, que completou para o gol na segunda trave.

À frente no marcador, o Tricolor deu a posse de bola ao Grêmio e passou a atuar recuado e compactado, saindo em velocidade nos contra-ataques. Com um excelente posicionamento defensivo e muita raça dos jogadores, o Bahia praticamente anulou o forte poderio ofensivo dos gaúchos. Douglas, em toda a etapa inicial, fez apenas uma defesa, numa cobrança de falta de Luan.

O panorama do jogo só mudou aos 10 minutos do 2o tempo, quando num lance em que o zagueiro Jackson sequer falta fez no lance, o árbitro Rodolpho Tolski Marques aplicou o segundo amarelo aos defensor, que foi expulso.

Ainda que inferiorizado em campo, o Bahia manteve a postura defensiva, sem se esquecer do contra-ataque, e acabou premiado pela coragem aos 21, novamente com Elber, que desta vez aproveitou um chute cruzado de Zé Rafael e sozinho, na pequena área, tocou para o gol.

O Grêmio seguiu com muita posse de bola, mas raramente conseguia penetrar na área do Esquadrão. Somente aos 38 o time gaúcho diminuiu a vantagem, com o ex-Bahia Juninho Capixaba.

Com os mais de 30 mil pagantes pressionando, a arbitragem enxergou pênalti de Gregore em Marinho num lance em que o invadiu a área e caiu sem praticamente ser tocado. Jael, outro ex-Bahia, bateu aos 43 e fez 2 a 2. No fim, aos 52, numa falta da entrada da área, Zé Rafael quase fez justiça ao cobrar no ângulo, mas o goleiro Paulo Vitor impediu o triunfo Tricolor.

O Bahia atuou com Doulglas; Nino, Jackson, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Nilton (Elton), Ramires (Ignácio), Zé Rafael e Elber; Gilberto (Edigar Junio).

FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA