Notícias

Vadão puxa orelha do ataque

Técnico alerta sistema ofensivo por causa do excesso de gols perdidos em amistoso contra Ipitanga. Partida serviu para dar ritmo aos reforços. Sábado que vem tem mais.

05 fev 2004 | 18H20

Um alerta para o setor ofensivo do Bahia. Assim o técnico Vadão encarou o jogo-treino desta quinta-feira, contra o Ipitanga, no Fazendão. O time do Tricolor, formado basicamente por reservas e recém-contratados ainda buscando a forma física ideal, foi derrotado por 1 a 0. O gol do adversário foi marcado por Gilmar, de pênalti, aos 25 minutos da etapa inicial. O grande destaque da partida foi o arqueiro Marivaldo, do Ipitanga, que fez defesas incríveis e garantiu o resultado.

“No nosso jogo contra o Camaçari, pelo Baiano, tinha alertado para o fato do desperdício das oportunidades de gol criadas. Disse que, um dia, isso poderia fazer a diferença. Naquela ocasião, não fez, mas hoje, os gols desperdiçados fizeram falta e determinaram o placar”, disse Vadão.

Apesar do resultado adverso, Vadão gostou do jogo-treino. “Claro que não gostaria de ter perdido, mas o grande intuito da atividade era colocar os reforços para treinar e o desempenho deles me agradou. No sábado, vamos dar continuidade a esse processo para que alguns deles possam ser aproveitados em nosso próximo jogo pelo Estadual”, completou Vadão.

O treinador se referiu ao zagueiro Reginaldo e ao volante Henrique. O primeiro teve que ser substituído ao longo do jogo por causa de uma bolha no pé. O segundo foi até o fim. Ambos mostraram estar num bom estágio de preparação física.

Outros reforços, Marcão e Elivélton não puderam treinar. Marcão sente dores na coxa e nesta sexta faz uma ultra-sonografia para avaliar a gravidade da contusão. Elivélton está com suspeita de tendinite no tornozelo. O veto de Elivélton fez com que Bruno, o único titular em campo, disputasse a partida contra o Ipitanga.

Nesta quinta, os titulares do Bahia fizeram apenas atividades físicas. Danilo e Elias, que estavam no departamento médico, foram liberados e nesta quinta voltam a treinar normalmente. O meia Cícero, com uma contusão óssea, segue fazendo fisioterapia.

O Bahia enfrentou o Ipitanga com – Emerson (Éderson); Leonardo, Alysson e Reginaldo Cachorrão (Gustavo); Túlio, Henrique, Fábio Costa, Robson (Hernane) e Bruno; Valdomiro e Ney Mineiro (William).