Notícias

Vadão: oscilações são normais

Treinador minimiza críticas à equipe e afirma – “confio no potencial dos jogadores”.

22 jan 2004 | 20H08

Na concepção do técnico Oswaldo Alvarez, a alternância de boas e más atuações é natural num elenco que sofreu profunda reformulação, como o do Bahia. Assim, o treinador minimizou as críticas à má apresentação de sua equipe no empate em 2 a 2 contra o Atlético/BA, nesta quarta-feira, no Jóia da Princesa.

“Nosso time perdeu uma série de jogadores e passa por um processo de grande reformulação. Quando um time atravessa um momento desses, é difícil manter uma regularidade. A torcida e a imprensa estão impacientes e reclamando por causa do que aconteceu no ano passado. Se tivéssemos sido Campeões Brasileiros, perdido um time inteiro pela valorização dos jogadores e, do mesmo jeito, tropeçássemos agora, todos estariam tranqüilos”, declarou o treinador, que, porém, teceu críticas ao comportamento da equipe.

“Não jogamos bem. Apresentamos problemas de posicionamento defensivo e não tivemos um bom aproveitamento ofensivo. Temos que conversar para resolver isso de uma maneira rápida para que, no domingo, colhamos um resultado mais positivo”, disse Vadão que, apesar das críticas, vai manter a escalação para a partida contra o Camaçari.

“Temos poucas opções. Além do mais, precisamos de mais paciência com essa equipe, que está em formação. Vamos continuar insistindo com esses atletas até que os nossos reforços estejam em condições de estrear. Confio no potencial dos atletas que aí estão”, completou o treinador.