Notícias

Tricolor é guerreiro, mas cai diante do líder

Bahia não consegue suportar o ritmo do primeiro do Brasileirão e perde para o Cruzeiro em Minas.

27 jul 2003 | 20H15

O Bahia mostrou garra, poder de reação, peitou a raposa no terreiro dela, mas sucumbiu diante da força do líder do Brasileirão 2003 e foi derrotado pelo Cruzeiro, por 5 a 2, na noite deste domingo, no Mineirão, em Belo Horizonte/MG.

O Cruzeiro vencia o jogo por 3 a 0 no início do segundo tempo. O Bahia reagiu e com gols de Lino e do estreante Didi, diminuiu para 3 a 2. Só que a equipe vacilou, não manteve o ritmo e acabou sofrendo mais dois gols.

O destaque do Tricolor foi o atacante Didi, que fez sua primeira partida no clube, mostrou bastante disposição, teve grande atuação, participou da maioria das jogadas ofensivas e ainda guardou um gol.

O Esquadrão volta a jogar no próximo domingo, contra o Criciúma, na Fonte Nova. Para a partida, o meia Preto e o capitão Emerson, suspensos, vão desfalcar o time. Em compensação, o Tricolor deve ter o retorno do meia Luís Alberto.

O jogo

Logo aos quatro minutos, o time mineiro teve a chance de abrir o placar com Felipe Melo, mas o meia errou a finalização.

Sufocando o Bahia, o líder do Brasileiro abriu o placar aos sete minutos, com Edu Dracena. O zagueiro aproveitou cobrança de falta de Alex e cabeceou sem chances para Émerson. Tabelando fácil, o Cruzeiro seguiu no ataque e Mota perdeu boa chance aos 19 minutos.

Seis minutos depois, em nova jogada de Alex, Emerson saiu do gol nos pés de Mota e salvou. Em seguida, Mota recebeu lançamento de Alex, ficou de frente para Emerson, mas isolou a bola. Aos 30, o Bahia perdeu uma grande oportunidade. Didi recebeu lançamento e, livre, chutou para fora.

O Cruzeiro acertou a marcação e seguiu criando suas chances. Aos 43 minutos, Zinho arriscou da entrada da área e a bola passou próxima à trave do Bahia. Dois minutos depois, Edu Dracena fez um lançamento da intermediária e encontrou Aristizábal. Livre, o atacante só encobriu o goleiro e marcou o segundo do Cruzeiro.

Na etapa final, o time mineiro manteve o domínio. Aos seis minutos, Alex cruzou e Edu Dracena marcou, mas o árbitro anulou, dando impedimento na jogada. Oito minutos depois, Mota foi lançado por Alex e acabou derrubado na área pelo goleiro Émerson. Na cobrança, Aristizábal só deslocou o goleiro e marcou o terceiro.

Aos 17 minutos, Alex recebeu na intermediária e encobriu Emerson, mas a bola saiu. No minuto seguinte, o Bahia reduziu a vantagem em uma bela cobrança de falta de Lino. Ele encobriu a barreira, a bola bateu na trave e nas costas de Arthur, antes de entrar.

O gol animou o tricolor, que partiu para cima. Aos 25 minutos, o Bahia chegou ao segundo gol. Em cruzamento da esquerda, Didi venceu os zagueiros e marcou em sua estréia com a camisa do Bahia.

A reação baiana acabou no minuto seguinte, quando Alex cruzou. Mota cabeceou, Émerson espalmou e a bola sobrou para Aristizábal, que fez o seu terceiro na partida. Com o gol, o time mineiro ganhou ânimo e não teve trabalho para chegar ao quinto gol, com Zinho, aproveitando outro rebote de Émerson, aos 34min.