Notícias

Tricolor deixa escapar triunfo e chances de classificação nos acréscimos

Bahia permite empate do arqui-rival e dá adeus às possibilidades de classificação no Super Baianão 2002.

09 jun 2002 | 22H20

O Bahia deixou escapar um triunfo certo, já nos acréscimos, e viu as poucas chances de classificação para a final do Super Estadual 2002 virarem pó ao empatar em 3 a 3 com o Vitória da Bahia, neste domingo, na Fonte Nova. O Tricolor chegou a estar vencendo por 3 a 1, mas permitiu que o adversário chegasse à igualdade e o eliminasse do campeonato. Os gols da partida foram marcados por Nonato (2) e Capixaba, para o Bi-Campeão do Nordeste; Fernando, Ramalho e Elói, para o atual vice do Regional.

O Tricolor disputa a última rodada do certame, na próxima quarta-feira, apenas para cumprir tabela. O adversário é o Palmeiras/NE, em Feira de Santana. Após o jogo, o Bahia inicia a pré-temporada para a Copa dos Campeões, em julho.

O jogo

Apesar da situação complicada no campeonato, o Bahia entrou motivado em campo, disposto a conseguir mais um triunfo sobre seu maior e histórico rival.

Pressionando o adversário desde o início, o Tricolor chegou a seu primeiro gol logo aos 4 minutos. Nonato invadiu a área pela direita, ganhou de Elói na corrida e cruzou. Jean soltou a bola e Capixaba aproveitou a sobra para marcar.

O gol fez o Bahia crescer ainda mais na partida. Aos 14 minutos, Daniel fez cruzamento perfeito para Capixaba, livre na área, mas o meia falhou na hora da finalização.

Aos 25 minutos, Bebeto recebeu passe na entrada da área e bateu forte, colocado, mas Jean realizou excelente intervenção.

O time rubro-negro só resolveu entrar no jogo aos 26 minutos. Após cobrança de escanteio, Emerson deu um tapa na bola, que sobrou dentro da área, na esquerda. Aristizábal bateu para o gol, Daniel afastou e ela sobrou na entrada da área, para Fernando. O meia chutou de primeira, sem goleiro – a bola explodiu no travessão, tocou na linha do gol e saiu. Os rubro-negros reclamaram que a bola havia entrado.

O Bahia respondeu aos 33 minutos. Daniel colocou a bola por entre as pernas de Leandro e cruzou para a área. Robgol dominou e tentou, de bicicleta, mas Jean, atento, defendeu.

Na seqüência, num contra-golpe rápido, o Tricolor foi surpreendido e André entrou livre na área, tentou o drible em Emerson e foi desarmado com falta – pênalti para o Vitória da Bahia, convertido, com categoria, por Fernando, que deixou tudo igual na Fonte, aos 36 minutos.

O Tricolor queria ir para os vestiários com a tranqüilidade de estar vencendo e correu atrás do resultado nos 10 minutos finais da primeira etapa.

Aos 41 minutos, quase Chiquinho desencantou, ao invadir a área e, mesmo marcado, chutar com força – mas a bola bateu no travessão.

Aos 44 minutos, Nonato foi mais feliz e contou com uma ajudinha da arbitragem. O artilheiro recebeu lançamento em posição duvidosa, ajeitou com a mão, e tocou na saída de Jean, para recolocar o Bahia na frente.

No segundo tempo, o Bahia continuou tomando a iniciativa ofensiva na partida. Aos 4 minutos, Jean Elias soltou a bomba em cobrança de falta da intermediária. Jean espalmou.

Três minutos depois, Chiquinho cruzou da esquerda. Nonato desviou e a zaga cortou. Bebeto pegou a sobra na meia-lua da grande área, mas chutou para fora.

Aos 10 minutos, Nonato recebeu na área, dividiu com Jean, caiu, pediu pênalti, mas o árbitro não marcou.

Aos 12 minutos, Capixaba fez grande jogada, passou por três e chutou cruzado, de fora da área, mas a bola saiu.

Aos 18 minutos, Capixaba perdeu outra grande chance – após bate e rebate na área, ele chutou de primeira, da entrada da área, mas Jean faz uma ponte sensacional.

A blitz tricolor persistia, apesar de não dar resultados concretos. Aos 26 minutos, Robgol penetrou na área pela direita e cruzou – na pequena área, Nonato tentou de carrinho, mas não conseguiu alcançar a bola.

O rubro-negro só voltou a incomodar aos 27 minutos – Paulo Rodrigues cruzou, Aristizábal desviou fraco para o gol e Robgol salvou, em cima da linha.

O Vitória da Bahia gostou de atacar e, aos 29 minutos, obrigou Emerson e operar um verdadeiro milagre, ao defender um chute, à queima-roupa, de Fernando, quase na pequena área.

Esse foi o último lance de emoção antes dos sete minutos finais da partida, quando o jogo pegou fogo.

Aos 37 minutos, Chiquinho cruzou da esquerda e Nonato, de carrinho, fez o terceiro do Bahia.

Mas o que parecia uma goleada consumada começou a virar um pesadelo para o Tricolor, dois minutos depois – Fernando bateu falta, Emerson espalmou e Ramalho, de cabeça, aproveitou o rebote para diminuir.

Mas o pior ainda estava por vir, e veio, nos acréscimos – após cobrança de falta da esquerda, Eloi aproveitou a bobeada da zaga para fazer o gol que eliminou o Tricolor do Super Baianão 2002.