Notícias

Tricolor arranca empate do Serra Dourada

Bahia volta a jogar bom futebol e consegue primeiro ponto fora de casa no Brasileirão.

21 ago 2002 | 22H25

Voltando a apresentar um bom futebol, o Bahia conseguiu seu primeiro ponto fora de casa no Brasileirão 2002, ao empatar, em 1 a 1, com o Goiás, nesta quarta-feira, no Serra Dourada. Os gols da partida foram marcados por Nonato e Kleyr. Com o resultado, o Tricolor quebra uma seqüência de duas derrotas e ganha motivação para enfrentar o Cruzeiro, domingo, no Mineirão, pela quinta rodada do Nacional.

Dessa vez, as alterações feitas por Bobô no time funcionaram. Os novos titulares – o zagueiro Valdomiro, o lateral Chiquinho, os meias Ramos e Gil Baiano, e o atacante Nei Fabiano – deram um maior equilíbrio ao time, que apresentou regularidade e eficiência nos três setores – defesa, meio-de-campo e ataque. Priorizando o aspecto defensivo, atuando com cautela, mas não se esquecendo de atacar, o Tricolor fez sua melhor partida no Brasileiro 2002. É pena que, aos 35 minutos do segundo tempo, o time vacilou e permitiu o empate.

O jogo

Como Bobô havia prometido, o Bahia começou o jogo bem fechado lá atrás, o que não significava que o time só se defendia, pois o Tricolor aproveitava bem os contra-ataques e criava chances perigosas. Era a tática da “cautela sem medo”.

Jogando assim, o Tricolor exercia uma forte e eficiente marcação defensiva, mas assustava o Goiás, que tomava a iniciativa ofensiva, por estar atuando em casa.

A primeira grande chance de balançar as redes foi do Bahia, aos 10 minutos. Mantena fez excelente jogada na meia-direita, passou por dois e rolou para Nonato. O atacante recebeu livre na área, mas chutou em cima de Harley.

O Goiás respondeu dois minutos depois, com Marquinhos chutando forte da intermediária, em cobrança de falta, para uma boa e segura defesa de Emerson.

Ao contrário dos outros jogos do Brasileirão, a defesa era o ponto forte do Tricolor. Marcelo Souza e Valdomiro, a dupla de zaga Bicampeã do Nordeste, com segurança, anulava as investidas goianas. O meia Ramalho fazia uma forte marcação no habilidoso Araújo – principal estrela do Goiás.

Ramalho só não conseguiu parar Araújo aos 24 minutos, quando o arisco atacante envolveu o volante tricolor e carimbou a trave de Emerson.

Do meio para frente, o Bahia também fazia uma boa apresentação. Os laterais Chiquinho e Mantena apoiavam freqüentemente, criando alternativas ofensivas pelos dois lados do campo. Gil Baiano trabalhava bem a bola, dando o toque de consciência que faltava. Já Ramos cumpria o papel de marcação e ainda avançava, sendo decisivo no gol tricolor .

Logo depois do susto sofrido com a bola na trave de Araújo, aos 26 minutos, o Bahia deu o troco e não só assustou, como calou a pequena torcida goiana presente ao Serra Dourada. Mantena lançou Ramos na direita. Ele foi até a linha de fundo e cruzou rasteiro para Nonato, com estilo, de “chapa”, fazer seu primeiro gol no Brasileirão 2002.

Após o gol sofrido, o Goiás se lançou todo à frente, buscando o empate antes do intervalo, mas o Tricolor segurou bem a pressão.

No segundo tempo, o alviverde veio disposto a conseguir a igualdade. Aos 8 minutos, após cruzamento para a área, Ramalho falhou e Araújo cabeceou rente à trave, mas a bola foi para fora.

Aos 13 minutos, depois da falha de marcação de Chiquinho, Marcinho recebeu livre na área, de cara com Emerson – o goleiro saiu bem do gol e fez excelente defesa.

O Bahia respondeu com Nonato, que perdeu boa chance, aos 17 minutos – ele recebeu na área e tentou encobrir o goleiro, mas a bola subiu demais e saiu.

Aos 25 minutos, foi a vez do Goiás desperdiçar uma oportunidade de ouro. Túlio cobrou falta perigosíssima, da linha da grande área – a bola passou raspando a trave, mas saiu pela linha de fundo.

Jogando todo em cima, anulando o contra-ataque do Tricolor, principal arma ofensiva de seu adversário, o Goiás chegou ao empate aos 35 minutos. Neném cruzou da direita, Danilo desviou de cabeça e, Kleyr empatou. O atacante estava substituindo Finazzi, que saiu no início do segundo tempo.

Após sofrer o gol, o técnico Bobô promoveu as entradas de Janílson e Nilson nos lugares de Nei Fabiano e Gil Baiano. Foi a tentativa do treinador de fazer reaparecer a força ofensiva do Bahia.

Aos 48 minutos, Nilson poderia ter dado ao Tricolor seus primeiros três pontos fora de casa no Nacional. O atacante invadiu a área, sozinho, mas demorou demais a chutar, o que deu tempo para o zagueiro efetuar o desarme.