Notícias

Só um “marmanjo”

Mais velho do time de Amadeu para domingo tem 21 anos. Média de idade do Tricolor que encara o Ipitanga é de 18,5 .

23 set 2005 | 18H43

Darino Sena

Um time quase formado apenas por garotos. O “quase” na frase anterior deve-se à presença do zagueiro Gustavo, único atleta que não é júnior e vai ser escalado pelo técnico Carlos Amadeu. É apostando na força da juventude que o Tricolor enfrenta, domingo, o Ipitanga, em Catu, pela Taça Estado.

Com exceção do “estranho do ninho”, que tem 21, os outros onze titulares têm 18 anos ou menos. A média de idade é de 18,5 anos. O atacante Bruno César, por exemplo, ainda é juvenil e titular do Tricolor também na sua categoria. É o mais novo, com apenas 17 anos.

Apesar das poucas idade e experiência, o desafio não assusta a garotada. “Ninguém aqui está com medo. Estamos contentes pela chance e doidos para entrar logo em campo e poder corresponder”, disse o lateral Fernando Rossi.

Além de Gustavo, quem também tem a missão de segurar a ansiedade da maioria e passar tranqüilidade aos mais jovens são os “rodados” Jaílson e Jajá. Eles fizeram parte do elenco que disputou o Brasileiro e têm uma relativa bagagem com relação aos demais.

Jaílson já defendeu a Seleção Brasileira em torneio internacional, foi vice-campeão da Taça BH como capitão do Tricolor. Jajá está no grupo de profissionais há dois anos e marcou até gol no time de cima.

“Quando o juiz apitar o início do jogo, a ansiedade tem que virar vontade de vencer. Só precisam controlar a onda no início. Depois dos primeiros minutos, o futebol começa a aparecer, porque é uma equipe de qualidade”. Foi o recado de Jaílson, que deve ser o capitão.

Na manhã desta sexta, após um coletivo no Fazendão, o técnico Carlos Amadeu praticamente definiu quem inicia a partida contra o tucano. O Bahia deve ir de Paulo Eduardo; Denílson, Gustavo, Jaílson e Fernando Rossi; Saulo, Caio, Marcel e Rodrigo; Jajá e Bruno César. Sábado, pela manhã, no CT, os jogadores fazem a última atividade antes da bola rolar.