Notícias

‘Queremos mais’

21 de setembro: Dia Nacional de Luta das PCD

21 set 2018 | 07H28

Ser cidadão brasileiro deveria ser, antes de mais nada, ter respeitados seus direitos básicos de vida: saúde, educação , acessibilidade, trabalho, cultura e lazer, formando o alicerce desses deveres constitucionais. Mas devemos nos perguntar: quantas vezes por dia este direito não é exercido por nossas minorias fragilizadas? Quantas vezes por dia a pessoa com deficiência tem desrespeitados seus direitos de cidadão?

São inúmeras as dificuldades impostas pelo preconceito que impede o acesso que passa pelo desrespeito, pela recusa, pelo extremo descaso do Poder Público em oferecer educação adequada, inclusão no mercado de trabalho, a garantia do direito do ir e vir e o direito à comunicação, tão sagrados na democracia moderna e constantemente desprezados perante as pessoas com deficiência.

Estima-se que 21% é o numero de pessoas com deficiência no Brasil. Perguntamos: estamos diante de quantos brasileiros não-cidadãos ? Estamos, Estado e Sociedade, tranquilos na omissão do dever não exercido? É dever do Estado garantir estes direitos, entretanto o Poder Executivo e o Poder Legislativo têm tratado a questão como se fosse um mero problema de caridade ou de bondade momentânea, promovendo soluções sem resultados satisfatórios, quando deveriam ter definições com mais responsabilidade  Esse é um reflexo da postura do poder constituído e da sociedade em geral.

Mas onde estamos? Estamos em um país onde os problemas sociais têm grande dimensão, mas são dadas soluções paliativas.

O Brasil que queremos – neste momento de busca pelo reencontro com nossa verdadeira democracia – é entender que as questões sociais têm papel preponderante. De leis estamos repletos. Vamos sinalizar um caminho? O Governo e a Sociedade devem trilhar juntos. Pois não é mais possível conviver com a não-cidadania. Para criarmos um Brasil mais justo, precisamos construir um espaço de respeito, dignidade e crença nas pessoas com deficiência.

É O MAIS QUE QUEREMOS!

É URGENTE, POIS JÁ ESPERAMOS DEMAIS!

SER DIFERENTE É ALGO NORMAL!

Maria Luíza Costa Câmera
PRESIDENTE DA ABADEF
CONSELHEIRA DO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
(COMPED-SALVADOR)