Notícias

Quem não faz…

Tricolor perde muitos gols em Fortaleza, incluindo penalidade, e sofre virada do Ceará.

16 maio 2004 | 13H25

O Bahia fez uma boa partida, saiu na frente, mas perdeu muitos gols, desperdiçou até uma penalidade, e acabou sofrendo virada por 2 a 1 diante do Ceará, no Castelão. A partida aconteceu na manhã deste domingo, na capital cearense, pelo Campeonato Brasileiro.

Quando vencia o jogo, com gol de Leonardo, o Tricolor teve um pênalti a seu favor, que foi desperdiçado por Robson. No segundo tempo, o Bahia voltou a ter e perder outras boas oportunidades. Até, em dois minutos, através de uma penalidade e uma bela jogada individual de Reinaldo, o Ceará virou a partida.

Após o 2 a 1, o Bahia ainda teve o meia Ari expulso. Nos minutos finais, o time quase conseguiu o empate, com Luís Alberto, que esbarrou no goleiro Marcelo Silva e na falta de sorte.

O Tricolor volta a campo na próxima sexta-feira, quando enfrenta o América/MG, às 20h30min, na Fonte Nova.

O jogo

Talvez em virtude do forte calor das 11h da manhã em Fortaleza, o jogo começou num ritmo lento. O Bahia se defendia bem, mas não atacava. Já o Ceará esbarrava na boa marcação do Tricolor e não era tão objetivo nas investidas ofensivas, que se resumiam a chutes de fora da área – Carabina e Claudinho Baiano tentaram, sem sucesso.

Pelo Bahia, o destaque individual era o jovem atacante Neto Potiguar, única peça ativa do sistema ofensivo tricolor. Aos 16, ele chegou a dar um belo lençol no adversário e provocou a reação da galera.

O panorama da partida só mudou a partir do 35 minutos. Após boa triangulação, Bruno recebeu bola na área e chutou cruzado. Marcelo Silva não segurou e Leonardo abriu o placar.

O gol fez o Ceará ir ainda mais para cima do Bahia em busca do empate. O Tricolor encontrou, com isso, mais espaço para contra-atacar.

O time da casa teve sua melhor chance aos 42, quando Claudinho Baiano, livre na área, de cara com Márcio, tentou colocar no canto. Mas o jogador pegou mal na bola e chutou para fora.

O Bahia respondeu à altura – na eminência do gol e, infelizmente, no desperdício. Aos 46, Neto potiguar foi lançado por Ari e derrubado na área por Marcelo Silva. Robson bateu o pênalti, mas o arqueiro espalmou.

No segundo tempo, o Tricolor voltou mostrando vontade de matar o jogo. Logo aos 15 segundos, Neto Potiguar cruzou na medida para Robson. O atacante cabeceou fraco, nas mãos de Marcelo Silva.

Aos cinco minutos, o Bahia voltou a ameaçar. Robert bateu escanteio. Valdomiro cabeceou para o chão. A bola quicou e foi no ângulo, mas o goleiro conseguiu evitar o gol, de soco.

Três minutos depois, foi a fez de Robson desperdiçar chance preciosa. Após lançamento para a área, a zaga do Ceará parou pedindo impedimento, o atacante dominou e chutou no canto, mas Marcelo Silva fez defesa sensacional.

O Bahia foi castigado pelas chances desperdiçadas aos 31 minutos. Valdomiro cometeu pênalti em Reinaldo. Paloma cobrou e deixou tudo igual.

Logo depois, Reinaldo ganhou dividida com Leonardo, deixou Neto no chão, driblou Márcio e virou a partida.

Aos 35, o treinador Vadão preparava a entrada do meia Luís Alberto no lugar do volante Ari – uma tentativa de deixar a equipe mais ofensiva. Quando ia saindo de campo, sem motivo aparente, Ari foi expulso. O técnico acabou colocando Luís no lugar do lateral Neném.

E Luís Alberto quase mudou a história do jogo. Em sua primeira participação, o meia dominou na área e chutou. Marcelo Silva deu rebote, Luís tentou de cabeça, mas o goleiro salvou de novo. Aos 46, o goleiro Márcio cobrou falta e colocou nos pés de Luís Alberto, na área. Ele desviou a bola, que raspou a trave, mas saiu.