Notícias

Pela primeira vez

Estreantes tricolores fizeram a festa no Bavi.

02 fev 2004 | 09H22

O Bavi deste domingo foi de muitas estréias no time do Bahia. Uns, vestiam pela primeira vez a camisa do clube. Outros, nunca tinham disputado o clássico, jogado na Fonte Nova ou atuado pela equipe profissional.

O zagueiro Leonardo viveu três emoções. Escalado de última hora no lugar do meia Cícero, o defensor, um dos reforços da equipe na temporada, fez suas estréias no Bahia, em Bavi e na Fonte Nova.

“Nunca tinha jogado aqui. Fiquei muito feliz. A torcida é muito empolgante e contagia a nós jogadores. Atuar pelo Bahia é um orgulho muito grande. Graças a Deus, pude estrear bem e contribuir para a alegria dessa galera, que merece muita felicidade”, disse Leonardo.

No time de estreantes em Bavi, jogaram o goleiro Márcio e os meias Ari, Elias e Glauciano. “A gente que vive o cotidiano do futebol baiano faz bastante tempo tem sempre uma noção do que é disputar o clássico. Mas ficar de fora, na torcida, é uma coisa. Entrar em campo, suar a camisa, sentir a vibração do torcedores e participar dessa festa é algo quase indescritível. Foi um momento que dificilmente apagarei da memória”, disse Glauciano.

Dia especial também teve o jovem meia-atacante Hernane, do elenco júnior do Bahia. Ele entrou no jogo aos 38 minutos do segundo tempo e fez sua primeira participação na equipe profissional, justamente em um Bavi. “Claro que nos primeiros segundos dá aquele frio na barriga. Mas depois fiquei tranqüilo e procurei dar o meu melhor. Espero que ajudar o Bahia a vencer, a partir de agora, seja uma rotina na minha carreira”.

Quem também estreou em clássicos e dirigiu pela primeira vez o Esquadrão de Aço na Fonte Nova foi o técnico Oswaldo Alvarez.