Notícias

Paixão tricolor

Sócias falam de seu amor ao Esquadrão

09 mar 2015 | 14H22

Em meio às inúmeras ações promovidas pelo Esquadrão para homenagear o Dia Internacional da Mulher, uma pedia para as sócias do clube escreveram um texto sobre sua relação de amor com o Bahia.

As cinco consideradas melhores ganhariam um kit oficial do Tricolor. A honra coube às torcedoras Carla Grimaldi, Laís Dória, Dani Nery, Tainá Vanessa e Carmela Coutinho. Elas precisam retirar o prêmio na CAS (Central de Atendimento ao Sócio), no shopping Capemi, das 9h às 19h desta quarta-feira (11).

Confira os textos:

Carla da Silva Grimaldi – Minha relação com o Bahia é uma relação que nem sei quando começou. Acho que já nasci Bahia e, com o passar do tempo, o meu amor pelo time só cresceu. E cresce cada vez mais. Porque amar um clube, ser um verdadeiro torcedor, não é só gritar na hora do gol, não é só pular com um triunfo de campeonato, não é só vestir a camisa quando o time vai bem. É lutar junto com ele, é gritar, é sofrer, é chorar. É acompanhar as quedas e tropeços. É rezar, acender vela, pagar promessa. Atuar junto, dar opinião, fazer parte. Ser sócia do Bahia para mim é uma identidade, um pouco de mim, do que eu sou. Uma marca que fica cravada no coração, na camisa, no grito abafado de gol que às vezes – e muitas vezes – não sai. Mas, acima de tudo, é não desistir nunca. Em qualquer divisão, é o amor pelo clube que define o torcedor. E é por isso que eu sempre encherei o peito e direi quando perguntarem qual é o meu time: Bahia!

Laís Dória – Meu nome é Laís, tenho 22 anos e o Bahia faz parte da minha história desde que me entendo por gente. Escutar sobre suas glórias, sobre sua importância para o futebol e sobre sua grande torcida, escutar seu grandioso e emocionante hino, foram suficientes para eu nutrir um amor especial à Nação Tricolor, confirmado e carimbado com a minha primeira ida à Fonte Nova, junto com meu pai, com quem ate hoje frequento todos os jogos. Perceber aquela vibração, aquela alegria e aquela devoção da sua fiel torcida só me fez ter a certeza de que eu queria fazer parte daquilo tudo. Fazer parte dessa torcida é viver fortes emoções. Desde explodir de alegria, até, infelizmente, chorar com eventos que poderiam ser evitados, como as derrotas, rebaixamentos e o triste acidente na Fonte, envolvendo sua torcida. Às famílias, meus sinceros sentimentos. A Nação está com vocês. Porém, até mesmo esses episódios servem como aprendizado. Aprendizado de que, para melhorar, é imprescindível o apoio e colaboração de sua torcida. Para isso, sou sócia torcedora, junto com meu pai, e participamos ativamente em tudo que diz respeito ao clube. Juntos, construímos nossa coleção de itens do Bahia, sendo os principais, nossos mantos sagrados. Ao meu pai, só tenho o que agradecer por ter me mostrado a linda história de uma paixão entre um clube e sua torcida, que eu, rapidamente, fiz parte. Ao Bahia, só tenho a agradecer e dar todo o apoio necessário. ‘Não importam o que digam. Sempre estarei contigo.’

Dani Nery – Sou a caçula de 3 filhos. Minha mãe conta que, quando eu nasci, em 1977, meu pai primeiro foi ao jogo do Bahia, depois ele se picou pra maternidade para me ver nascer! Então, cresci comendo pipoca e rolete na Fonte Nova com meus pais e meus irmãos, não podia ser diferente a minha paixão tricolor, pois só tive tempo de ver e viver coisas boas com o ECB. Lá em casa todo mundo é normal, ninguém desviou pro “outro”. Somos uma família tricolor e família, vocês sabem, é amor. Agora tem minha filha, que o pai é torcedor fanático do “outro”, mas ser Tricolor tá no sangue. Aqui em casa, ou nasce tricolor ou não vai ser nada na vida, literalmente! O avô dela já fez a parte dele, transferiu o amor para ela, e faz 8 anos que tem mais uma normal na família :). Aqui não temos espaço para desvios….Bora Baêa Meu Orgulho!!

Tainá Vanessa – Minha relação de amor com o Bahia não me parece ser só dessa vida. O amor é tão grande, que parece que eu o vivi em outras vidas. Dizer que acompanho o Bahia desde a barriga da minha mãe me parece clichê, mas é a pura realidade. Os meus programas de família de todos os domingos era passear com a família no Dique, e, logo após, ver o Bahia em campo. A felicidade em estar ali, assistindo ao meu time do coração, com o brilho nos olhos, pagava qualquer outro tipo de “diversão” que eu pudesse ter. Tenho dito que muitas vezes os pais influenciam o filho na escolha do seu clube. Sou muito grata aos meus pais, e principalmente à minha mãe, por sempre ter gostado de futebol, e me fazer Bahia desde sempre. Amar o Bahia é respeitar, é saber que torce para um time que é Bicampeão brasileiro. É o primeiro time a ganhar um Campeonato Brasileiro. Pioneiro. Gigante. Nasceu pra vencer. Amar o Bahia transcende qualquer limite de razão e emoção. Amar o Bahia é nunca desistir. É acreditar que, aos 49 do segundo tempo, ainda há esperança. Se tem uma frase que o torcedor do Bahia leva é: “O jogo só acaba quando o juiz apita”. E é esse o legado do maior time do Nordeste. Jogar a toalha nunca fez parte dos nossos planos. Amar o Bahia é apoiar “mesmo quando está chovendo, ou quando o sol tá de rachar”. É acreditar. Como foi em 59, contra os o Santos de Pelé, e como em 88, contra o “todo poderoso Internacional”, que ninguém acreditava. Ninguém, exceto a Nação, que sempre soube da grandiosidade do nosso clube. Amar o Bahia é entender que você não torce pra qualquer um. Você torce pra um gigante. E, graças a Deus, nasci Bahia e levarei esse amor para o resto da minha vida e das minhas gerações.

Carmela Maria Mônaco Coutinho – Não me pergunte se a minha vida é boa ou é ruim! Pegunte apenas para que time eu torço e vai ter a resposta porque ser Bahia é ser Feliz! Bahia minha vida! Bahia meu orgulho! Bahia meu amor!

Abaixo, algumas outras tricolores que mandaram bem:

Adriana Santos Nascimento – Ser torcedora do Bahia é uma emoção inexplicável. É sorrir quando meu time do coração ganha, chorar quando ele perde, xingar o técnico, é beijar com orgulho a camisa desse time que amo tanto. Na derrota e na vitória, estarei com você meu time do coração. Nei, meu amor, te amo. Mas meu coração é tricolor. Bahia minha vida, Bahia meu amor, pra sempre Esquadrão tricolor.

Ana Martinez – Desde pequena via a Fonte Nova da janela da minha casa. O amor de meu pai pelo Bahêa era contagiante. E ir com ele, com meus 4 anos de idade, para aquela festa de reencontro de amigos, comemorações, e muito algodão doce, maçã do amor, rolete de cana e sorvetes de lata, era pura alegria! A relação de amor só cresceu e, apesar dos muitos pesares, hoje sou orgulhosamente SÓCIA do Esporte Clube Bahia, e quero ajudar meu clube a crescer, para muito em breve conquistar a sua 3ª estrela ! #BBMP #RumoAoTRI

Marivalda Souza – Sou torcedora do Bahia desde criança. Agora nos meus 74 anos, desejava ser sócia Clube Bahia. Ser sócia do Bahia é ter uma identidade daquilo que sou. Vamos pra frente, Bahia!

Silvia Letticia Castro – Minha relação é de um amor incondicional. Se doa, se permite acreditar, se permite ficar com ódio e amor em segundos. Uns vão dizer que sou bipolar, mas é a mais pura tradução da emoção e vibração. Não se explica, se sente: “Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim… Sou Bahêaaaaa!!!! #BoraBahêaMinhaPaixão

Ana Cláudia Silva – Independente de como o meu Bahia estiver, serei sempre uma seguidora fiel. Confio e sempre confiarei em você, meu Esquadrão de Aço. Nunca serei seguidora dos que não tem o que seguir. Bora Baheeea.

Márcia Maria Freire Almeida – Não sou apenas sócia torcedora do Bahia, sou apaixonada pelo meu Esquadrão!!!

Angela Pereira Sempre – Continuarei tricolor mesmo que a bola não entre, mesmo que a Fonte nova ou Pituaçu se calem, mesmo que o triunfo esteja longe. Sou tricolor no peito e na alma. NINGUÉM NOS VENCE EM VIBRAÇÃO, BAHÊA SEMPRE ESTAREI CONTIGO. BBMP.

Vânia Calasans Medina – Torcer pelo Bahia não tem explicação. É pura paixão, é muita emoção e haja coração!

Patricia Castro – Pode parecer repetitivo, mas a verdade é que ser Bahia não é simplesmente ser torcedora. A relação é muito mais forte e profunda, pois envolve confiança, cumplicidade e uma amor tão profundo que supera tudo. Assim é o meu amor por esse time lindo. Com meu Bahia sempre estarei, pois as cores tricolores estão implantadas no meu coração e seguirão por muitas vidas. BBMP