Notícias

Números

Confira as estatísticas e curiosidades da temporada tricolor.

16 maio 2015 | 14H01

– O Bahia completou 29 jogos oficiais em 2015. A campanha é a seguinte: 15 triunfos, 9 empates, 5 derrotas, 56 gols marcados, 28 sofridos, saldo de 28 e aproveitamento de 62%;

– O Tricolor chegou a ficar 16 partidas invicto, mas quebrou esta série com uma derrota para o Ceará, mas já iniciou uma nova sequência com 04 jogos sem reveses.

– Em pouco mais de quatro meses e 29 jogos, o Bahia já marcou 56 gols. Na temporada inteira de 2014 (66 jogos), o Tricolor marcou 68 gols. Em 2013, o Esquadrão disputou 63 jogos e marcou 64 gols.

– Em números de triunfos, a campanha de 2015 também impressiona. Este ano, o Bahia já venceu 15 partidas. Em 2014, foram 24 triunfos e em 2013, foram 21.

– Dos 56 gols marcados na temporada, o trio de ataque foi responsável por 30 deles. Kieza marcou 14, Maxi Biancucchi anotou dez, e Léo Gamalho, seis.

– Dos 56 gols marcados, 35 foram de atacantes, 15 de meio-campistas, 5 de zagueiros e 01 contra;

– Foram 23 gols marcados no 1º tempo e 33 na etapa final;

– A média de gols do Bahia é de 1,9 por jogo;

– Kieza é o artilheiro da temporada 2015, com 14 gols marcados;

– Com os dois gols marcados contra o Vitória da Conquista, Kieza chegou aos 11 tentos na nova Fonte Nova, superando Fernandão, que fez 9, e se tornando o maior artilheiro do estádio desde a sua reinauguração;

– Maxi Biancucchi já marcou 10 gols em 2015 e é o vice artilheiro da equipe. Em 2014, o atacante argentino marcou somente 04 gols. Com as duas assistências que deu no jogo contra o Mogi Mirim, ele se tornou o “garçom” do elenco, com 05 passes diretos para gols.

– O técnico Sérgio Soares já lançou 10 atletas da base do Bahia na temporada 2015. Jean, Carlos, Patric, Eder, Robson, Sávio, Gustavo Blanco, Yuri, Mateus e Luan estrearam no profissional neste ano.

– 52% do atual elenco profissional tricolor foi formado na base do Esquadrão;

– Na final da Copa do Nordeste, no Castelão, o Bahia utilizou 5 atletas formados na base do clube (Jean, Robson, Bruno Paulista, Rômulo e Zé Roberto).

– Na final do Campeonato Baiano, na Fonte Nova, o Tricolor usou 6 atletas formados na base do clube (Jean, Robson, Bruno Paulista, Rômulo, Zé Roberto e Mateus);

– No jogo de ida contra o Luverdense, na Copa do Brasil, dos 20 atletas relacionados, 16 foram formados na base do Bahia e dos 14 jogadores utilizados durante a partida, 11 são “crias” do Fazendão, um fato inédito na história tricolor. Os atletas foram Omar, Yuri, Robson, Patric, Bruno Paulista, Feijão, Mateus, Rômulo, Éder, Jeam e Zé Roberto

– No primeiro quadrimestre de 2015, o O Esquadrão voltou a disputar uma final de competição regional depois de 13 anos. A última vez havia sido em 2002, a final da Copa do Nordeste, contra o Vitória-BA, competição que o Bahia sagrou-se campeão;

– Desde 2002 (13 anos), o Bahia não chegava a duas finais na mesma temporada;

– Com a conquista do Campeonato Baiano de 2015, o Bahia quebrou um tabu de 14 anos sem títulos na Fonte Nova. A última taça erguida no estádio havia sido a Copa do Nordeste de 2001.

– O Esquadrão voltou a ser bicampeão baiano depois de 21 anos. Desde 1994, não conquistava dois Estaduais seguidos. Na dupla 98/99, dividiu o título de 99 com o Vitória;

– Com a conquista do título baiano, o Bahia tornou-se o maior campeão estadual da década, com três títulos (2012, 2014 e 2015)

– No campeonato baiano, o Bahia teve o melhor ataque (34 gols), com o dobro de gols do segundo.

– Os três principais goleadores da competição foram do Bahia. Kieza (artilheiro) com 08, Maxi fez 06 e Léo Gamalho marcou 05.

– Jogando em casa, em 2015, foram 14 jogos oficiais, com 12 triunfos, 1 empate e 1 derrota (88% de aproveitamento).

– O Bahia tem a 11 melhor média de público do Brasil. São 15.089 pagantes por jogo. Na Copa do Nordeste, a média foi de 20.049 pagantes por jogo. No Baiano, a média foi de 11.553 pagantes.

– Na final da Copa do Nordeste, contra o Ceará , a Fonte Nova recebeu o maior público do novo estádio (em jogos de clube), com 40.805 pagantes.

– O Bahia também teve os dois melhores públicos do Campeonato Baiano. Contra a Juazeirense, foram 19.991 pagantes. Contra o Vitória da Conquista, foram 20.904 pagantes.