Notícias

Nonato brilha e Bahia empata em Rondônia

Tricolor fica no 3 a 3 com o CFA/RO, pela Copa do Brasil.

19 mar 2003 | 23H45

Com três gols de Nonato, o Bahia empatou em 3 a 3 com o CFA/RO, em Porto Velho, nesta quarta-feira. O Tricolor vencia o jogo até os 50 minutos da segunda etapa, mas vacilou na defesa e permitiu o empate do adversário.

Com o resultado, o Bahia pode empatar por até dois gols com o CFA, no jogo de volta, para ficar com a vaga à fase seguinte da Copa do Brasil 2003. A próxima partida acontece nesta quarta-feira, na Fonte Nova. A delegação tricolor chega a Salvador no fim da noite desta quinta-feira.

O jogo

O primeiro tempo da partida foi bastante truncado. O Bahia tinha dificuldade para impor sua melhor técnica em virtude da má qualidade do gramado, castigado por causa de fortes chuvas. Já o CFA apelava para as faltas a fim de conter as escassas investidas ofensivas do Tricolor.

Mesmo com todas as dificuldades, o Bahia conseguia chegar com perigo ao ataque. Aos 13 minutos, Preto arriscou de fora da área e acertou a trave.

Como a condição do gramado, coberto de lama, desaconselhava as jogadas pelo chão, Preto resolveu jogar pelo alto, e acertou. Após contra-golpe rápido, ele fez lançamento longo para Nonato, que, na saída do goleiro, abriu o placar.

O Tricolor teve outra chance de ampliar aos 43 minutos, quando Jair deu ótima assistência para Nonato, na área. O atacante tocou colocado, tirou a bola do goleiro Marcelo, a redonda raspou a trave, mas acabou saindo.

O time de Bobô tinha o domínio do jogo e poderia ter terminado a primeira etapa em vantagem, caso não falhasse na marcação defensiva. Aos 49 minutos, após cobrança de falta para a área, Quintino se antecipou à zaga e, de cabeça, empatou.

O que faltou em emoção durante os 50 minutos da primeira etapa, sobrou nos sete minutos iniciais do segundo tempo, quando aconteceram dois gols. Aos seis minutos, em jogada rápida do ataque do CFA, Saulo cruzou para Andrade virar o placar.

A resposta do Bahia foi quase instantânea. Um minuto depois, Preto novamente lançou para Nonato deixar tudo igual novamente.

Após o gol, o Tricolor cresceu. Aos 15 minutos, Jair cruzou para Nonato colocar a bola na trave.

A produtividade aumentou ainda mais quando Bobô colocou o atacante Nilson no lugar do lateral Adeildo. Jogando com três homens na frente, o Bahia partiu com tudo para cima dos donos da casa.

A pressão deu resultado aos 33 minutos. Ramos cruzou, o goleiro não alcançou e Nonato, com oportunismo, guardou seu terceiro gol no jogo – o sétimo dele na Copa do Brasil 2003.

Depois de estabelecer a vantagem, o Bahia continuou em cima, buscando o gol que lhe daria a classificação. Porém, no apagar das luzes, a equipe acabou sofrendo o empate.

Numa falha coletiva, a zaga tricolor deixou Ivan livre na área para desviar cruzamento para o fundo das redes de Ederson.