Notícias

Meninos do Fazendão derrubam tabu

Danilo e Luís Alberto marcam, Bahia vence Guarani depois de 8 anos e sobe no Brasileirão 2003.

09 jul 2003 | 22H45

Com gols de Luís Alberto e Danilo, jogadores formados nas Divisões de Base do clube, o Bahia venceu o Guarani, por 2 a 0, nesta quarta-feira, na Fonte Nova, e voltou a subir na tábua de classificação do Brasileirão 2003. O triunfo quebrou um tabu de oito anos sem vitórias sobre a equipe paulista.

A única baixa do jogo foi o meia Luís Alberto, que saiu de campo sentindo a coxa, logo após marcar seu gol, no segundo tempo. O meia pode ser desfalque para o jogo de domingo, contra a Ponte Preta, em Campinas.

Com a vitória desta quinta, o Esquadrão quebrou uma incomoda série de três jogos sem vencer no Brasileirão e manteve a invencibilidade do técnico Evaristo de Macedo na Fonte Nova.

O jogo

O Tricolor fez um primeiro tempo ruim. Errando passes, com falhas individuais e no posicionamento defensivo, sem conseguir armar jogadas de ataque e, conseqüentemente, sem incomodar a paz do goleiro Jean, o Bahia jogou mal.

Na etapa inicial, investidas ofensivas do Esquadrão se limitaram aos chutes de longa distância e ao “chuveirinho”. Na única vez que conseguiu chegar tocando até a área adversária, Jair serviu a Jean Carlos, que dominou, mas chutou por cima do travessão.

Enquanto o Bahia não se achava, o Guarani mandava no jogo. O bugre explorava principalmente as laterais, atacando em rápidos contra-golpes. O time de Campinas só não marcou por causa do azar de Rodrigão.

Aos 16 minutos, Vagner caiu pela esquerda e cruzou para a área. Rodrigão se antecipou à zaga, mas chutou para fora.

Aos 25, o bugre perdeu outra grande chance. Gilson entrou livre na área e cruzou na medida para Rodrigão marcar, só que o atacante desviou a bola para longe do gol.

No segundo tempo, o bugre continuou em cima. Nos 10 primeiros minutos, só deu o time verde, que voltou a perder várias chances – Rodrigão chegou a colocar a bola na trave, numa cabeçada.

Para acabar com o domínio do Guarani, Evaristo de Macedo mexeu radicalmente no Tricolor. Ele colocou o meia Danilo no lugar do lateral-direito Fabiano. Com isso, o meia Luís Alberto foi deslocado para a lateral. O treinador colocou também Marcelo Nicácio no ataque, no lugar de Jean Carlos.

O Bahia cresceu, ficou mais criativo e veloz, e passou a envolver o bugre. Aos 19 minutos, Otacílio acertou chute no ângulo e Jean espalmou. Na cobrança de escanteio, Luís Alberto, de primeira, abriu o placar para o Esquadrão de Aço.

Aos 32, o Tricolor esteve perto de ampliar. Nicácio cruzou da direita, Nonato desviou e Jean salvou em cima da linha, evitando o 100º gol do artilheiro coma camisa do Bahia.

O que Nonato não fez, Danilo fez com maestria, três minutos depois. Ele recebeu na área, deixou o zagueiro no chão e tocou no ângulo, para marcar um golaço!

Aos 42 minutos, o goleiro Emerson garantiu a vantagem de dois gols com uma defesaça, em cabeçada do ataque do Guarani.

Aos 47 minutos, Nonato voltou a ver o gol 100 de perto, mas o arqueiro Jean, ex-ídolo da torcida do Bahia, impediu a consagração do craque, com uma defesa simplesmente fantástica, em cabeçada do artilheiro.