Notícias

Festa é baiana no Olímpico

Bahia arranca ponto precioso e estraga festa pelos 100 anos do Grêmio. Didi marca. Emerson é herói.

13 set 2003 | 20H17

Antes do jogo, a festa foi do Grêmio pelo centenário do clube, neste sábado. Mas depois do jogo, só o Bahia tinha motivos para comemorar. Afinal, mesmo com todas as adversidades, o bom desempenho do time gaúcho e a pressão da torcida local, o Tricolor jogou um grande futebol e empatou em 1 a 1 com o Grêmio em pleno estádio Olímpico.

O resultado deixou o Bicampeão Brasileiro mais longe da zona de rebaixamento do Brasileirão 2003 e dá uma maior tranqüilidade ao grupo, que enfrenta, domingo, na Fonte Nova, o Vasco da Gama.

Todo o time do Esquadrão teve grande atuação contra o Grêmio, mas um jogador merece destaque – o goleiro Emerson, que, com defesas sensacionais, evitou a abertura do placar pelo adversário no final do primeiro tempo.

O Tricolor baiano abriu o placar aos 11 minutos do segundo tempo, com Didi, aproveitando falha do goleiro Danrlei. O Grêmio empatou aos 18 minutos, numa cabeçada do zagueiro Adriano. No final do jogo, o zagueiro Valdomiro foi expulso e a arbitragem deu cinco minutos de acréscimos. O time da casa veio para cima, pressionou, mas o Esquadrão soube se defender e volta para Salvador com um pontinho bastante valioso na bagagem.

No jogo deste sábado, o meia Ari e o lateral Bruno, ex-juniores, estrearam em Campeonatos Brasileiros, como titulares da equipe.

O jogo

Com personalidade, aguerrido e corajoso, o Bahia começou bem a partida. Exercendo uma boa marcação, e articulado ofensivamente, o Tricolor baiano envolveu o Grêmio e criou boas chances para abrir o placar, mas esbarrou no preciosismo de sues jogadores e na falta de pontaria.

O Grêmio só conseguiu sair da defesa por volta dos 30 minutos. Os donos da casa inverteram o panorama do jogo e passaram pressionar o Esquadrão. Os gaúchos só não marcaram graças a defesas monstruosas do goleiro Emerson.

O show particular do arqueiro começou aos 26 minutos. Eduardo cruzou, Cristian desviou de cabeça, Emerson voou no ângulo e segurou firme.

Aos 31, Cristian fez boa jogada pela direita e cruzou para Cláudio Pitbull. Ele bateu de primeira e acertou a trave esquerda do Bahia.

Sete minutos depois, Gilberto passou pelo marcador, invadiu a área e tocou no canto. Emerson fez outra defesaça e colocou para escanteio.

Aos 40, Emerson voltou a fechar o gol, evitando o tento numa série de três grandee intervenções, em chutes consecutivos de dentro da área.

Depois de respirar no intervalo, o Bahia voltou com tudo no segundo tempo e conseguiu achar o caminho do gol. Aos 11 minutos, o goleiro Danrlei falhou e a bola sobrou para Didi marcar o terceiro dele no Brasileirão.

Mas o Bahia conseguiu segurar por pouco tempo a vantagem – apenas sete minutos. Aos 18, Cláudio Pitbull fez grande jogada e cruzou para o zagueiro Adriano, de cabeça, deixar tudo igual.

O restante do jogo seguiu equilibrado, com escassas chances para ambos os lados. Aos 41, o zagueiro Valdomiro fez falta violenta e foi expulso. Aos 45, o árbitro deu mais cinco minutos de acréscimos e aumentou e grau de dramaticidade da partida para a torcida tricolor. Guerreiro, o Bahia soube resistir à pressão e trouxe um pontinho precioso de Porto Alegre.