Notícias

Equipe completa

Presidente e diretores dão coletiva no CT

03 fev 2015 | 01H00

O auditório do CT tricolor sediou na tarde desta segunda-feira (2), dia de Yemanjá, a apresentação da nova diretoria completa do Bahia para o triênio 2015-2017. A TV oficial do clube transmitiu ao vivo online.

A novidade foi a chegada de Jorge Avancini, ex-executivo de marketing do Internacional, para assumir a diretoria de mercado. A equipe do presidente Marcelo Sant’Ana e do sub Pedro Henriques já contava com Marcelo Barros na diretoria executiva (administrativo-financeira) e Alexandre Faria na diretoria de futebol.

“Avancini tinha um outro desafio profissional e não podia negociar porque já estava empregado, então foi uma negociação que demorou um pouco mais”, explicou Sant’Ana.

O reforço azul, vermelho e branco pediu paciência à torcida, mas traçou metas. “Tenho um desafio pessoal que é, até o final dessa gestão, em 2017, tentar chegar a 50 mil sócios. Hoje o cenário da Bahia é próximo ao cenário do Rio Grande do Sul em 2003. E até diria que o Bahia está bem melhor. Não temos limites. O limite está de acordo com nossa competência. Questões que a nossa regionalidade nos oferece. E a interiorização, levar a marca do Bahia para os torcedores mais distantes, para que, de alguma maneira, possa conviver com a história, os ídolos, conversando com o presidente, que foi um dos grandes sucessos lá”, disse.

Veja algumas outras frases do presidente e, abaixo, o vídeo (na íntegra) do evento:

“Hoje no Bahia a gente entende que o mercado do futebol precisa se desenvolver e o Bahia está atrasado dentro desse mercado. Nos últimos 15 a 20 anos, o Bahia não tem sido o clube que eu como torcedor e quem é tricolor espera. A gente busca, com essa formação de diretoria, recuperar o protagonismo do Bahia”.

“Claro que isso vai demorar um tempo também. A gente precisa recuperar a credibilidade do clube. Mas pretendemos transmitir essa questão da profissionalização não só para os nossos torcedores, mas para o próprio mercado. A gente entende que o futebol brasileiro precisa ser mais profissional”.

“O Internacional já nos deu uma grande alegria na nossa história (o título brasileiro de 1988), mas eu espero que esse reencontro com o Inter possa vir a nos dar novas alegrias (com Avancini), principalmente no plano de sócios, que é o grande desafio que o Bahia tem nos próximos anos”.

“Quando a gente estava no périodo da eleição, a promessa que a gente tinha era de que montaria uma diretoria técnica, com pessoas com currículo comprovado na sua área de atuação”.

“A gente trouxe primeiro Marcelo Barros, que o mercado baiano conhece (ex-secretário estadual de Administração), para ser o diretor executivo. O melhor futebol do Brasil nos últimos três anos está em Minas Gerais: nosso diretor de futebol veio de Minas. E os grandes casos de associação do futebol brasileiro estão no Rio Grande do Sul: a gente traz pra essa área de mercado um profissional do RS. Então, é uma promessa que a gente teve, não de campanha, mas de gestão, que a gente cumpre a partir de hoje”.

http://youtu.be/ROpQFdFd90E

Galeria de Fotos