Notícias

Em busca da motivação

Técnico define o time para o jogo com o Ipitanga e exige dedicação e respeito ao clube – “independente da situação, é o Bahia em campo”.

16 set 2005 | 18H58

Darino Sena

Após um coletivo na manhã desta sexta-feira, no Fazendão, o técnico Carlos Amadeu definiu os titulares para o jogo deste domingo, contra o Ipitanga, em Terra Nova, pela terceira rodada da Taça Estado da Bahia.

Os onze

A equipe é formada exclusivamente por jogadores que estavam disputando o Brasileiro da Série B pelo clube. Eles vão substituir os juniores, que estavam defendendo o Tricolor na competição.

Os escolhidos por Carlos Amadeu são Emerson, Paulinho, Gustavo, Gabriel e Marcus Vinícius; Magno, Cícero e Luís Alberto; Ernane, Jales e Jajá.

Improvisação

A única inovação é a presença de Marcus Vinícius na lateral-esquerda, função que ele vai desempenhar pela primeira vez no time principal, mas onde costumava atuar quando júnior. “Ficamos sem opção para a posição com a saída do Luciano e pelo fato do Badé não jogar por estar negociando a rescisão com a diretoria”, justificou Amadeu.

Garotose dúvida

Ao longo do treino, o técnico fez três mudanças. Jaílson entrou no lugar de Gabriel, Luís Alberto saiu para a entrada de Dudu e Rodrigo substituiu Ernane. Apesar das mexidas, o time já está definido.

Para compor o banco de reservas, foram chamados Dudu, Jaílson e os seguintes garotos das categorias de base – o lateral-direito Denílson, o meia Rodrigo e os atacantes Bruno César e Alan. O goleiro Paulo Cerqueira também foi convocado para a suplência, mas só vai para a partida caso o reserva imediato de Emerson, Márcio, não se recupere. O arqueiro sente dores no ombro e teve que deixar o treino mais cedo nesta sexta.

Desafio

O coletivo foi vencido por 4 a 0 pelos titulares, com dois gols de Jajá, um de Jales e um de Marcus Vinícius, em 55 minutos de atividade. Na manhã deste sábado, Carlos Amadeu comanda o último treino antes da partida.

“Acho que o meu maior desafio no momento é conseguir motivar o grupo. Hoje já sinto uma melhora nesse aspecto. Esperamos evoluir ainda mais para entrar em campo e conseguir vencer. Os jogadores têm que atuar com amor à profissão e respeito ao clube. Independente da situação, é o Bahia que vai estar em campo”, exigiu o treinador.