Notícias

Desentendimento contornado

Magno e Cícero batem boca em coletivo, mas Procópio intervêm e discussão termina em abraço.

29 ago 2005 | 20H18

Darino Sena

Uma discussão entre os meias Magno e Cícero movimentou o coletivo do Bahia nesta segunda-feira. O bate-boca foi motivado por uma disputa de bola mais acirrada entre eles.

O técnico Procópio Cardoso interrompeu o treino, deu uma dura nos dois e tirou Magno da atividade. Ao final do coletivo, o comandante conversou com os dois atletas, que se abraçaram.

“Ele me deu uma entrada mais dura e eu fui tirar satisfação. Depois do treino, reconheci meu erro, pedi desculpas e ficou tudo bem, graças a Deus. Não devia ter feito o que fiz, porque ele não teve a intenção de me machucar”, disse Magno.

“Isso é reflexo do momento que nós vivemos. Todos estão com os nervos à flor da pele e discussões como essas são naturais no futebol. Mas no fim, ficou tudo bem. Sou amigo do Magno há muito tempo e não é esse episódio que vai mudar nossa relação”, completou Cícero.

O presidente Petrônio Barradas vai esperar um relato do técnico Procópio Cardoso para definir se vai ou não punir os atletas.