Notícias

Demonstração de união

O triunfo sobre o São Raimundo, mostrou um Bahia unido, dentro e fora de campo, na luta pela permanência na Série B do Campeonato Brasileiro.

19 ago 2005 | 23H30

A torcida é sempre o fiel da balança, o termômetro da atuação do time. Contra o São Raimundo, todos os jogadores quer foram substituídos pelo técnico Procópio Cardoso, fizeram questão de cumprimentar o companheiro, que estava entrando na partida, sempre com um aperto de mão e um abraço apertado, e foram aplaudidos pelo torcedor nas arquibancadas do estádio da Fonte Nova.

Uma demonstração de união e companheirismo, que começou ainda no vestiário da Fonte Nova. Além da Comissão Técnica e dos 18 jogadores relacionados para esta partida contra o São Raimundo, outros nove jogadores do Bahia estavam na Fonte Nova, acompanhando o trabalho do grupo que iria enfrentar o São Raimundo, participando da preleção, da reza, passando força, determinação, dando apoio aos companheiros.

Estavam no vestiário, antes e depois do jogo, os zagueiros Gustavo, Allysson e Gabriel, os meias Neto, Dudu, Wellington e Guaru, e os atacantes Jales e Dill, numa prova de união do grupo sob o comando do técnico Procópio Cardoso.

Também o presidente do Bahia, Petrônio Barradas, o Diretor de Futebol Antônio Jorge Moreira Garrido, o assessor de marketing, Marco Costa, o Superintendente das Divisões de Base, Enaldo Rodrigues, e vários conselheiros, também estavam no vestiário da Fonte Nova, fazendo parte deste “mutirão” para manter o Tricolor entre os 16 clubes classificados para a Série B do Campeonato Brasileiro de 2006.

“Trinta e um pontos classifica?”. Perguntou otimista o técnico Procópio Cardoso, fazendo contas de quatro triunfos consecutivos do Bahia, contra São Raimundo, Sport, Santo André e Paulista. “No futebol tudo é possível”, disse, sorridente, o treinador do Bahia.