Notícias

Decepção

Bahia faz bom primeiro tempo, mas joga muito mal no segundo e é goleado pelo Flamengo.

07 ago 2003 | 22H31

Depois de um bom primeiro tempo, onde enfrentou o adversário de igual para igual, o Bahia “esqueceu” de entrar em campo na segunda etapa e acabou sofrendo uma goleada histórica para o Flamengo, na noite desta quinta-feira, no Maracan㠖 6 a 0. A partida marcou a estréia do clube no segundo turno do Campeonato Brasileiro de 2003.

O Tricolor jogou desfalcado de cinco jogadores – Accioly, Valdomiro, Otacílio, Lino e Nonato, todos suspenso. O time volta a entrar em campo domingo, contra o Fortaleza, na Fonte Nova. Dos desfalques desta quinta, o único que não vai poder entrar em campo é Otacílio.

O jogo

Liberando os laterais e até os volantes para o apoio ao ataque, o Bahia começou o jogo com um comportamento tático que apontava o objetivo da equipe – conseguir a primeira vitória fora de casa no Brasileirão 2003.

E o time partiu em busca do seu ideal, enfrentando o Flamengo de igual para igual e fazendo uma partida equilibrada, já que os dono da casa tinha maior posse de bola e também mostrava vontade de vencer.

A primeira jogada de perigo aconteceu aos 13 minutos, quando Fernando Diniz acertou uma bomba de longe e exigiu defesa em dois tempos de Emerson.

O Tricolor respondeu aos 16. Preto levantou bola na área, a zaga desviou, Jair pegou a sobra, mas chutou para fora.

Aos 20, o Bahia teve outra chance de abrir o placar, mas Didi resolveu dar um drible a mais, após dominar a bola na área, e acabou desarmado.

Um minuto depois, Chiquinho cruzou e Jean Carlos desviou para fora.

Depois dos bons momentos ofensivos do Esquadrão, foi a vez do Flamengo assustar, e muito, o Bahia. Anderson e Felipe acertaram bolas na trave em cobranças de falta, aos 27 e aos 33.

Depois de uma forte pressão do rubro-negro, o Bahia voltou a equilibrar o jogo, que caminhava para o empate sem gols no fim da primeira etapa. Só que, aos 45 minutos, a zaga tricolor bobeou, deixou Fernando subir livre para escorar cobrança de escanteio para o fundo do gol de Emerson e inaugurar o placar do Maracanã.

O segundo tempo, para o Bahia, foi um desastre. O único bom momento do Tricolor aconteceu aos quatro minutos, quando Jean Carlos invadiu a área e acertou a trave.

Depois, o time caiu muito de produção, errou demais e virou presa fácil para o rubro-negro, que se aproveitou para aplicar uma goleada histórica, em noite inspirada do meia Felipe.

Edílson, aos 7, aos 24 e aos 44; e Rafael, aos 22 e aos 26, foram os autores dos gols da maior goleada sofrida pelo Bahia nos últimos tempos.