Notícias

Coletiva de Roger

Técnico analisou momento do Bahia

28 nov 2019 | 16H29

Durante o jogo desta quarta (27), no qual o Bahia empatou por 1 a 1 diante do Atlético Mineiro, na Fonte Nova, os jogadores ouviram protestos de uma parte do público presente. Manifestações como vaias, músicas e palavrões.

O treinador Roger Machado, no início da entrevista coletiva, falou sobre o que viu nas arquibancadas da Fonte Nova.

“O torcedor tem 100% de direito de cobrar, não tenho dúvida disso. Até porque se eu tivesse no lugar do torcedor com esses jogos e tendo essa expectativa… Tenho que louvar e poucas vezes vi a parte maior do estádio que não estava de acordo apoiar. Isso eu vou levar para minha vida toda. Não é corriqueiro isso acontecer. Mas o lugar de protestar é no estádio. Claro que durante esses momentos de crise é trabalhar com essas situações. É nesse momento que o atleta vai ser provado”.

Roger saiu em defesa do grupo quanto ao quesito ‘disposição’. Para ele, em mais uma partida, o grupo não se acomodou. Buscou o triunfo o tempo todo, correu, brigou, mas ‘faltou jogo’.

“Também estamos decepcionados, porém jamais posso lidar com meu grupo pela falta de interesse. Pode estar nos faltando jogo, mas outros elementos não. O torcedor não está protestando por falta de empenho, e sim do futebol”.

No que se refere ao jogo, para ele, o Bahia deixou o estádio com o sentimento que ‘mereceu vencer’ o time mineiro.

“Tivemos um bom primeiro tempo. Se a gente analisar, não merecíamos sair com a derrota nem com o empate. Jogamos suficiente para vencer. Só que qualquer resultado diferente da vitória é péssimo. É trabalhar o emocional do atleta para que ele sinta confortável no jogo. É final de temporada, não há mais o que fazer. Se vencermos os três jogos, vamos fazer a melhor campanha do clube no campeonato e o torcedor vai ficar feliz. A frustração vem da expectativa e o grupo também está decepcionado”.

Ouça a entrevista completa: