Notícias

Cirurgia de Emerson é bem sucedida

Joelho do capitão do Bahia foi operado nesta terça, no INSBOT. Médicos prevêem 30 a 45 dias “de molho”.

11 mar 2003 | 13H40

Um sucesso. Foi a expressão utilizada pelo vice-presidente médico do Bahia, Dr. Marcos Lopes, para qualificar a cirurgia no joelho a que foi submetido o goleiro Emerson, na manhã desta terça, no Instituto Baiano de Ortopedia e Traumatologia – INSBOT, em Salvador. “Não houve qualquer imprevisto e o procedimento cirúrgico foi muito bem sucedido”, disse Lopes. Ele previu que o capitão do Bahia deve ficar fora dos gramados por um período de 30 a 45 dias. Emerson deve ter alta ainda nesta quarta-feira, quando já começa a fazer fisioterapia.

“O retorno do Emerson vai depender apenas dele. De sua disposição em voltar e das respostas que teremos de seu organismo. A previsão mais otimista nestes casos é a volta às atividades dentro de 30 dias. Mas o período de tratamento é muito variável. O Bebeto Campos, por exemplo, teve um problema semelhante e ficou apenas três semanas sem jogar. Já o Uéslei ficou 45 dias fora”, disse Marcos Lopes.

Até o último domingo, Emerson estava há 16 dias sem treinar por causa de uma torção leve na área posterior do menisco. “Era um problema crônico, mas já estava praticamente curado. Ele deveria voltar aos treinos já nesta semana”, disse Lopes.

O problema é que Emerson sofreu um trauma no fim de semana, quando estava em casa. O goleiro se apresentou na segunda-feira reclamando de fortes dores e foi submetido a uma ultra-ressonância, que detectou uma nova lesão no joelho. “A nova contusão, de maior intensidade, não tinha nada a ver com a primeira. Foi detectado que o goleiro estava com uma torção na parte anterior do menisco medial”.

Problema descoberto, a equipe do Dr. Marcos Lopes resolveu optar por uma cirurgia para um restabelecimento mais rápido e seguro de Emerson. “Como não se trata de uma lesão de ligamento cruzado, que é a mais grave no joelho, o Emerson não vai ter qualquer problema para voltar ao campo o mais rápido possível. A cirurgia não vai deixar qualquer seqüela e o goleiro vai poder voltar a exercer sua função normalmente em breve”, completou Lopes.