Notícias

Chega de perder gol

Tricolor passa o dia acertando a pontaria. Ordem é aproveitar melhor as chances nos jogos.

25 maio 2004 | 19H10

Por Darino Sena,
do Fazendão

“Olha o Bahia chegando, boa trama ofensiva, vai fazer… uh! O Tricolor perde mais uma chance preciosa de marcar, na cara do gol”. O trecho é imaginário, mas bem que poderia ter saído da boca de algum locutor esportivo que tenha transmitido um dos dois últimos jogos do Bahia no Campeonato Brasileiro.

É para que passagens semelhantes sejam ditas com a menor freqüência possível que o Tricolor passou a tarde desta terça-feira tentando, e muito, aprimorar a pontaria.

Os atletas treinaram à exaustão. Foram finalizações em cruzamentos rasteiros e altos, cobranças de falta, de escanteio, chutes de longa de distância e de dentro da área. O esforço foi tanto que, ao final das atividades, os jogadores estavam completamente cobertos de barro.

“É um sacrifício que vale a pena. Já está comprovado que nosso time tem essa deficiência e temos é que trabalhar forte para corrigir”, disse o meia Luís Alberto.

“No futebol, é difícil ficar cara a cara com o goleiro. Ainda mais hoje, que a marcação é intensa. Muitas vezes, só aparece uma chance durante o jogo. Nosso time vem tendo a facilidade em criar, mas não conclui”, declarou o técnico Vadão.

“Precisamos ser completos no setor ofensivo. A criação está boa. Chegamos pelo meio, vindos de trás, pelas laterais. Falta botar a bola para dentro. É para isso que estamos trabalhando. O raciocínio é simples. As vitórias e os pontos são conseqüência dos gols. Queremos marcar a maior quantidade possível deles”, completou o técnico.

Nas duas últimas partidas, o Bahia abusou do direito de perder gols. Contra o Ceará, o time desperdiçou até pênalti e sofreu uma virada, por 2 a 1. Diante do América/MG, a equipe abriu 2 a 0, poderia ter feito mais gols, mas jogou pelos ares uma série de oportunidades e ainda acabou levando um tento no finalzinho da partida, o que poderia complicar o triunfo praticamente assegurado.