Notícias

Cerezo pede oito dias ao Bahia

Treinador foi convidado oficialmente a dirigir o Tricolor. Newton Mota nega salário de R$ 100 mil.

13 fev 2006 | 11H06

Darino Sena

Convidado a dirigir o Bahia, o técnico Toninho Cerezo pediu prazo de oito dias para dar uma resposta aos dirigentes do clube. O convite oficial foi feito no último final de semana, quando o treinador esteve em Salvador e se reuniu com o presidente Petrônio Barras e com o diretor de futebol Newton Mota.

Os muitos amigos na capital baiana, o fato da esposa ser da cidade, onde Cerezo tem residência e quer voltar a morar depois de quatro anos no Japão, são fatores que pesam para um “sim”.

Caso aceite a proposta do Bahia, Cerezo só começa o trabalho no comando técnico do clube no próximo dia 6 de março. Compromissos pessoais, além de duas cirurgias a que vai se submeter, impedem que ele assuma qualquer compromisso profissional antes da data.

Sobre o acerto salarial, o diretor de futebol Newton Mota informa que a oferta feita pelo Bahia a Cerezo é consideravelmente inferior a R$ 100 mil, valor que vem sendo especulado.

“Estamos oferecendo um salário dentro da realidade financeira do Bahia. Não sabemos quem inventou essa mentira de que pagaríamos R$ 100 mil a Cerezo”, afirmou Mota.