Notícias

Candinho deixa bola rolar em coletivo

Técnico fez poucas interrupções para corrigir erros e testou Gil Baiano no ataque.

02 set 2002 | 18H48

Um treino “solto”. Assim o técnico Candinho definiu o segundo coletivo do Bahia sob o seu comando, realizado na tarde desta segunda-feira, na Fonte Nova. Diferente do que aconteceu domingo, o treinador fez poucas interrupções na atividade para consertar os erros, deixando “a bola rolar”.

“Deixei eles mais à vontade hoje. Preferi parar pouco o coletivo, deixando os problemas para eles resolverem por si só, pois no jogo é assim”, disse Candinho.

O técnico escalou o mesmo time titular do coletivo de domingo, mas fez uma modificação no decorrer do treinamento – colocando o meia Pingo e adiantando Gil Baiano para formar dupla de ataque com Nonato.

“Ele já me utilizou na posição, quando trabalhamos juntos, em 1997, no Vitória. Para mim, não há problemas de adaptação”, disse Gil. “É uma formação que posso usar no decorrer da partida, para buscar uma maior movimentação ofensiva. Também queria ver como seria a atuação do Pingo no time de cima”, justificou Candinho.

Os titulares suaram, e muito, para empatar com os considerados reservas, que abriram vantagem de 2 a 0, com gols de Kena e Etto. O time principal chegou à igualdade com gols de Nonato e Gil Baiano. O coletivo durou uma hora.

Artilheiro tricolor no Campeonato Brasileiro, com três gols, Robgol não participou do coletivo desta segunda. Ele teve que ir à João Pessoa/PB, onde compareceu à uma audiência judicial. Com isso, a equipe titular do Bahia atuou com – Emerson; Daniel, Marcelo Souza, Valdomiro e Chiquinho; Bebeto Campos, Ramalho, Geraldo e Gil Baiano; Ney Fabiano (Pingo) e Nonato.
Candinho disse que só divulga o time para o jogo com o Paraná, quarta-feira, na Fonte Nova, na tarde desta terça.