Notícias

Bobô volta a comandar as Divisões de Base do Bahia

Ex-treinador assume o cargo de superintendente do departamento na próxima segunda-feira.

11 set 2002 | 15H50

Aceitando os constantes e intensos convites da diretora do clube, Raimundo Nonato Tavares da Silva, o Bobô, volta a comandar as Divisões de Base do Bahia – desta vez, como superintendente do departamento. A coordenadoria do setor continua sendo de Enaldo Rodrigues. Bobô assume o cargo oficialmente na próxima segunda-feira. Bobô foi coordenador das Divisões de Base de 2000 até o início de 2002, quando assumiu o comando técnico da equipe de futebol profissional do Bahia. Na função, levou o Tricolor à conquista do Bicampeonato do Nordeste.

Após deixar o cargo de treinador, o qual ocupou durante sete meses, Bobô retorna às Divisões de Base e diz que, a princípio, não deve fazer muitas mudanças. “Fiquei muito tempo fora, por isso, ainda estou estudando o departamento para depois traçar um planejamento de como gerir as coisas daqui pra frente”, disse o superintendente, que vai manter a mesma equipe de trabalho.

Bobô prevê que não vai ser necessário mudar muito, pois encontrou uma boa situação do ponto de vista administrativo. “O pessoal fez um excelente trabalho enquanto estive fora, mantendo nossa filosofia de valorização e ampliação do setor”, disse o superintendente.

A primeira passagem

Com o objetivo de formar novos talentos para a equipe principal, Bobô comandou uma verdadeira revolução nas Divisões de Base do Bahia, transformando-a numa das mais modernas do Brasil. A principal meta foi oferecer condições infraestruturais necessárias para que as jovens promessas pudessem ter uma boa performance em campo.

Bobô implantou uma estrutura multidisciplinar no departamento. Com isso, as Divisões de Base do Bahia passaram a não se resumir somente à comissão técnica. Hoje, os garotos recebem o apoio de nutricionistas, pedagogos, professores, psicólogos e assistentes sociais. “Estamos preocupados também em oferecer assistência médica e odontológica aos nossos atletas e formá-los como cidadãos”, declarou Bobô.

A isto, seguiu-se uma série de mudanças, como a ampliação do número de categorias de base para sete – fraldinha, dente de leite, pré-mirim, mirim, infantil, juvenil e júnior. “O garoto pode entrar no clube com 10 anos, recebendo um acompanhamento anual até chegar aos profissionais. Há a criação de uma identidade e o clube passa a conhecer totalmente o atleta”, disse Bobô. “Outro fator fundamental para o nosso crescimento foi o aumento de participação nas competições, o que vai acostumando os atletas a elas e dá mais confiança e personalidade aos jogadores”, completou.

Os resultados da reformulação iniciada na “era Bobô” apareceram em campo – cinco jogadores do Bahia foram convocados para as Seleções Brasileiras de Base, entre eles, Daniel, titular da Seleção Sub-20 e umas das maiores revelações do futebol brasileiro nos últimos anos; na categoria júnior, o Tricolor foi Campeão Baiano, Nordestino, da Taça Estado da Bahia e Bicampeão do Torneio Internacional de Marseille, na França; além de ter conquistado outros títulos importantes nas demais categorias.