Notícias

Balanço

Técnico analisa participação no Brasileiro feminino sub-17

21 nov 2023 | 19H26

Durante uma semana, o Bahia disputou, em Belo Horizonte, o Campeonato Brasileiro feminino sub-17. Sob o comando de Igor Morena e da comissão técnica do profissional, as Meninas de Aço disputaram três partidas: um triunfo contra o Minas Brasília (2×1), derrota para o Grêmio (1x) e empate contra o Corinthians (0x0).

O desempenho não foi o suficiente para classificar o Esquadrão, já que apenas os primeiros colocados de cada grupo se classificavam. No entanto, o desempenho da equipe foi tratado como positivo pela comissão técnica.

“A gente acabou caindo em uma chave muito forte, no qual tínhamos o Grêmio, que foi nosso primeiro jogo, campeão da Ladies Cup, uma competição de base feminino, e foi nossa estreia praticamente, só tínhamos feito um amistoso antes deste jogo. Perdemos apenas por 1×0, com um jogo muito igual, no qual poderíamos sair com o empate. Sofremos um gol de pênalti no qual a gente questionou a arbitragem. Depois enfrentamos o Corinthians, que a história deles por si só fala, empatamos em 0x0 e tivemos mais chances no final, em situações de bola parada. E, por fim, finalizamos com o Minas Brasília, que é uma equipe que faz um trabalho no futebol feminino muito forte e tem a base a mais tempo que a gente, e conseguimos um triunfo”, analisou o técnico Igor Morena.

O comandante falou também sobre o processo de montagem do grupo e ressalto que, apesar da pouca idade, as atletas mostraram um bom futebol.

“Foi um período muito interessante para a comissão, por ser um período curto para selecionar algumas atletas. É óbvio que a gente já tinha algumas atletas que monitorávamos no decorrer do processo, por vivenciar o futebol feminino. Foram três semanas muito intensas em que conseguimos selecionar essas meninas de bastante qualidade. Ressaltar que são meninas muito novas, algumas com 15 anos de idade, que foram disputar o Brasileiro. E elas tiveram um nível de performance muito satisfatório pelo tempo que a gente teve para trabalhar com elas”, completou.

Foto: Letícia Martins / E.C Bahia