Notícias

Bahia vence batalha jurídica

O presidente Petrônio Barradas foi quem traçou a estrátegia.

15 set 2006 | 19H40

Por Jayme Brandão

Na tarde desta quarta-feira, o Bahia travou uma “batalha” jurídica, para defender os zagueiros Josemar e Pereira, que foram julgados por suas expulsões, no jogo contra o Coruripe.

O julgamento ocorreu no STJD, no Rio de Janeiro e felizmente, terminou bem para o Tricolor.

O presidente Petrônio Barradas montou uma verdadeira estrátegia de guerra, munido de dois depoimentos dos jogadores Rubens e Mateus, do Coruripe, que confirmaram que Josemar não havia agredido ninguém, naquela partida. Pelo contrário, quando houve um princípio de confusão, o experiente beque foi o primeiro a tentar separar os mais exautados.

Além destes dois importantes depoimentos, Petrônio enviou o observador técnico Aldo França ao Rio, para acompanhar de perto o julgamento, que inclusive depôs a favor de Josemar. Aldo levou uma fita da partida, que mostrava claramente o equívoco do juiz em expulsar o zagueiro do Bahia.

O resultado foi unânime, Josemar foi absolvido e já está liberado para jogar.

No caso de Pereira, o talentoso advogado Dr. Marcos Donicci conseguiu mudar o artigo que o beque estava incluso, do 253 para o 258.

Se o julgamento de Pereira fosse baseado neste artigo 253, o atleta poderia pegar 120 dias ou até mais de suspensão.

Pereira pegou dois jogos de pena e como já cumpriu a automática, estará à disposição, no jogo do próximo domingo, lá no Pará.

O presidente Petrônio Barradas, que abasteceu o departamento jurídico com fortes armas, parabenizou a todos os envolvidos nesta batalha.