Notícias

Bahia repete escalação após 275 dias

Antes mesmo da bola rolar contra o Atlético/BA, Tricolor quebra tabu de mais de nove meses. Após o jogo, pode superar outro.

21 jan 2004 | 02H15

Foi preciso esperar mais de nove meses, mais precisamente, 275 dias, para que o Bahia conseguisse repetir a escalação de sua equipe titular em dois jogos consecutivos. A “façanha” acontece nesta quarta-feira – se não houver um imprevisto de última hora -, quando o Tricolor enfrenta o Atlético de Alagoinhas, em Feira de Santana, às 20h30min, pela segunda rodada do Campeonato Baiano de 2004.

O técnico Vadão já confirmou que o time que encara o Atlético é o mesmo que venceu a Catuense, na estréia do Estadual, no último domingo. Dos seis treinadores que passaram pelo Bahia nesses 275 dias, além de Bobô, o atual é o único que vai poder utilizar os mesmos onze jogadores inicialmente em duas partidas seguidas.

A repetição de uma escalação no Bahia não acontece desde 16 de abril de 2003, quando o clube venceu o Juventude, por 3 a 1, na Fonte Nova, pelo Brasileirão. Os dados foram levantados pelo jornalista Luís Telles, do Correio da Bahia.

Contusões e suspensões foram os principais motivos que evitaram as repetições. Nesta quarta, o Tricolor ainda pode quebrar outro tabu, o de não vencer duas partidas consecutivas pela mesma competição – o jejum também já dura mais de um ano.

“Esses fatos mostram que pelo menos estamos começando o nosso trabalho aqui com uma certa dose de sorte. Não tivemos nenhum jogador machucado, ou expulso, o que é bom, pois podemos dar seqüência ao processo de entrosamento da equipe. Quanto ao jejum de vitória seguidas, não deixa de ser uma motivação a mais para a equipe”, declarou o técnico Vadão, que justificou a manutenção.

“Fomos relativamente bem na estréia. O time conseguiu um resultado expressivo, vencendo fora de casa, apesar de não apresentar um excelente futebol. O comportamento do grupo me agradou muito, principalmente no segundo tempo, quando melhoramos nossa produtividade ofensiva e não demos chance ao adversário. Não há porque mexer”, completou o técnico.

A equipe que encara o Atlético vai ser formada por – Márcio; Paulinho, Valdomiro, Neto e Bruno; Glauciano, Cícero, Luís Alberto e Elias; Nicácio e Danilo.