Notícias

Bahia perde gols e invencibilidade em Floripa

Tricolor não perdia há três jogos. Resultado poderia ser outro se equipe tivesse melhor aproveitamento nas finalizações.

25 maio 2003 | 19H30

O Bahia perdeu uma invencibilidade de três jogos no Campeonato Brasileiro neste domingo, ao ser derrotado por 1 a 0 para o Figueirense, em Florianópolis/SC. O gol foi marcado por Léo Macaé. Foi a primeira derrota de Evaristo de Macedo no comando técnico do Bahia.

O Tricolor poderia ter obtido um resultado melhor se aproveitasse algumas das muitas chances de gols criadas e desperdiçadas por seus homens de frente. O Bahia volta a jogar no próximo domingo, quando enfrenta o Goiás, na Fonte Nova.

Na partida, o Tricolor vai ter o desfalque de Lino, que foi expulso neste domingo.

O jogo

O Bahia nem teve tempo para respirar nos primeiros minutos de jogo – o Figueirense começou com tudo. Aos 5 minutos, Sandro Hiroshi desviou após cobrança de escanteio e a bola sobrou para André Luís, livre na área, cabecear para fora.

Três minutos depois, Luís Fernando, sozinho na área, desviou cruzamento para o gol, de joelho, mas Emerson salvou, em cima da linha.

O Figueirense tinha facilidade para chegar na área tricolor. Aos 16min, Sandro Hiroshi rolou para o veterano Vágner Mancini, que ficou livre, apenas com Emerson na sua frente, mas chutou por cima.

Com o passar do tempo, o figueira foi diminuindo o ímpeto ofensivo e o Bahia se acertando em campo. O Tricolor quase balançou as redes com Paulo Sérgio, que recebeu cruzamento de Nonato, mas cabeceou para fora.

Por ironia do destino, no final do primeiro tempo, quando o Bahia era melhor, o Figueirense conseguiu balançar as redes. Aos 41 minutos, William cruzou da esquerda e Léo Macaé fez.

Na segunda etapa, o Bahia foi bem mais time que os catarinenses. Jogando com rapidez, errando poucos passes, o Tricolor pressionou os donos da casa do início ao fim da etapa.

A pressão do Bahia começou aos 10 minutos. Nonato fez grande jogada, passou por dois marcadores, abriu espaço e chutou para uma defesa espetacular de Edson Bastos.

Como o gol não saiu nos até os 15 minutos, o técnico do Bahia, Evaristo de Macedo começou a mexer no time. Aos 16, o atacante Marcelo Nicácio entrou no lugar de Paulo Sérgio e o meia Adriano substituiu o lateral-direito Fabiano.

As substituições aumentaram a força ofensiva ao Bicampeão Brasileiro. O Tricolor cresceu ainda mais com a expulsão de Léo Macaé, aos 18 minutos – ele colocou a mão na bola e recebeu o segundo amarelo.

Todo na frente, aos 21 minutos, o Esquadrão quase chegou lá – Luís Alberto recebeu lançamento na área, livre, e desviou de primeira. Edson Bastos salvou de novo.

Evaristo de Macedo partiu para o tudo ou nada aos 25 minutos, quando sacou o zagueiro Luiz Fernando e promoveu a entrada de Cláudio – o Bahia passou a jogar com três atacantes.

Contudo, a grande quantidade de homens lá na frente não foi suficiente para o Bahia chegar ao empate. O Tricolor ficou em cima do Figueirense até o último minuto, chegou a colocar uma bola na trave, com Cláudio. O mesmo Cláudio, no finalzinho, perdeu outra grande chance, nos acréscimos, quando, de cara para o gol, chutou nas pernas do goleiro.