Notícias

Bahia perde em Belém

Tricolor sofre gols no início, tenta reação, mas pára no Paysandu.

24 set 2003 | 22H39

Falhas no início da partida determinaram a derrota do Bahia para o Paysandu, por 4 a 0, nesta quarta-feira, em Belém do Pará – partida válida pela 32ª rodada do Brasileirão 2003. Em oito minutos de bola rolando, o Tricolor sofreu dois gols, sentiu o baque, demorou demais a reagir e, quando era melhor que o adversário, na segunda etapa, acabou sofrendo o terceiro num pênalti após rápida jogada de contra-golpe do papão. No finalzinho, Souza acertou belo chute e fechou o placar.

Com o resultado, o Bahia perde invencibilidade de três rodadas no Nacional. O Tricolor volta a jogar no próximo domingo, contra o Figueirense, na Fonte Nova – é a chance da reabilitação. Para o jogo, o time tem os desfalques de Jean Carlos e Accioly, suspensos.

O jogo

O Bahia só começou a jogar depois dos oito minutos de jogo. Para que isso acontecesse, foi preciso que o time, disperso em campo, sofresse dois gols. O primeiro, aos 20 segundos de bola rolando. Depois da saída do meio, Welber foi acionado na esquerda e chutou cruzado. Emerson tentou espalmar, mas falhou e permitiu o tento.

Aos oito, Zé Augusto cruzou e Sandro, livre de marcação, ampliou a vantagem do Paysandu.

Só depois de ser duramente castigado é que o Esquadrão acordou. O técnico Lula Pereira acertou o posicionamento da equipe, deu uma sonora bronca nos atletas, o Tricolor se organizou e passou a incomodar o papão.

O melhor lance do Esquadrão na etapa inicial foi uma cobrança de falta por Lino, aos 25 minutos – a bola explodiu no travessão.

Para dar mais força ofensiva ao Bahia, Lula Pereira trocou o meia Ari pelo habilidoso e arisco Danilo no intervalo. O jogador entrou bem no jogo.

Aos 17 minutos, Danilo começou a melhor jogada de ataque do Tricolor até então. O meia tentou encobrir o goleiro, a bola parou no travessão. Jean Carlos pegou a sobra, na área, mas isolou.

Antes disso, o Tricolor já havia criado duas boas oportunidades em cruzamentos de Paulinho em que Didi furou na hora de cabecear.

Como, mesmo melhor em campo, seu time não conseguia balançar as redes, Lula Pereira resolveu mudar, colocando Nicácio e Preto nos lugares, respectivamente, de Jean Carlos e Possato. As alterações, porém, não surtiram o efeito esperado.

Apesar do maior volume de jogo, o Tricolor era pouco objetivo no ataque e deixava brechas para o contra-golpe – o papão se aproveitou disso para fazer o terceiro. Em investida fulminante, Magnum recebeu livre, passou por Emerson, mas foi derrubado por Accioly antes de empurrar para o fundo – pênalti e expulsão do zagueiro. Lecheva cobrou e fez.

Aos 46, Sandro acertou belo chute no ângulo de Emerson e fechou o placar.