Notícias

Bahia perde clássico

Tricolor faz boa partida, sai na frente, mas sofre virada do rival.

12 out 2003 | 18H15

O Bahia fez uma boa partida, não se intimidou por jogar na casa do rival, saiu na frente no marcador, mas acabou sofrendo virada e perdeu por 2 a 1 para o Vitória, na tarde deste domingo, no Barradão. Os gols do clássico foram marcados por Preto, para o Tricolor, Alessandro Goiano e Samir.

Aos 43 minutos, o Tricolor teve a chance do empate, com Didi, mas o atacante, de dentro da área, chutou no travessão.

O Esquadrão volta a jogar no próximo sábado, contra o Coritiba, no estádio do adversário. Para a partida, o time conta com a volta do zagueiro Marcelo Souza.

O jogo

A superioridade rubro-negra no início do jogo estava só nas arquibancadas – onde a torcida do Vitória era nitidamente a maioria. Porque no campo, quem mandava era o Bahia.

O Tricolor começou a partida com personalidade e ousadia, sem se intimidar por estar atuando no estádio do rival. o cartão de visitas veio aos três minutos, quando Possato cruzou com efeito e Juninho teve que se esticar todo para evitar o gol.

Logo depois, o arqueiro rubro-negro voltou a ser herói, salvando, à queima roupa, voleio de Jean Carlos, quase na pequena área.

A pressão tricolor se transformou em gol aos 23 minutos. Jean Carlos sofreu falta na entrada da área. Preto cobrou com maestria e botou no ângulo.

Sentindo a superioridade do Bahia, o técnico rival mexeu na equipe buscando mais ofensividade – aos 31 minutos, o atacante Samir entrou no lugar do zagueiro Alex.

A alteração surtiu efeito quase imediato. Aos 32, Alessandro Goiano foi lançado na área e tocou por cobertura, na saída de Emerson, para deixar tudo igual.

A exemplo do primeiro, o Bahia começou o segundo tempo em cima. Aos três minutos, Preto cobrou falta perigosa que Juninho defendeu.

O Vitória respondeu aos 10. Depois de saída errada do Tricolor, Alecsandro foi acionado na área, ficou de cara com Emerson, mas errou o passe final.

O lance fez a torcida local pegar no pé de Alecsandro, que acabou dando lugar a Gilmar, aos 18 minutos – a substituição acabou sendo decisiva e selou o destino da partida.

Gilmar melhorou a equipe, com grandes arrancadas pela direita e presença de área. Aos 33, o atacante tentou de voleio e acertou a trave de Emerson.

Aos 36, Gilmar invadiu a área pela direita, passou por dois e tocou para Samir, livre, fazer o segundo.

O Bahia ainda buscou a reação e teve a grande chance de deixar tudo igual aos 43 minutos – Didi recebeu na área, ajeitou, mas chutou no travessão.