Notícias

Ão Ão Ão PRIMEIRA DIVISÃO

Nonato faz três, Bahia goleia Portuguesa por 4 a 2, exorciza fantasma do rebaixamento e está na elite do Brasileirão em 2003.

17 nov 2002 | 18H19

Ponto final na angústia de torcedores, jogadores, dirigentes e funcionários do Bahia neste segundo semestre de 2002. Isso porque o Tricolor goleou a Portuguesa, por 4 a 2, na tarde deste domingo, em Mogi-Mirim, na última rodada da competição, e exorcizou o incômodo fantasma do rebaixamento que atormentava o clube no Campeonato Brasileiro de 2002.

O grande nome da partida foi o matador Nonato, que calou os críticos e fez os três primeiros gols do Esquadrão de Aço. A goleada foi completada por Bebeto Campos. Com os resultados da rodada, Gama/DF, Palmeiras/SP, Botafogo/RJ e Portuguesa/SP foram rebaixados para a Segunda Divisão.

O jogo

A Portuguesa começou melhor. Com um bom toque de bola e bem organizado taticamente, a Lusa encurralava o Bahia. A impressão inicial era de que o time paulista abriria o placar rapidamente – mas ficou só na impressão, graças ao goleirão Emerson.

No período em que dominou o jogo, a Lusa teve duas grandes oportunidades, ambas com o atacante da seleção Brasileira, Ricardo Oliveira, mas Emerson fez grandes defesas e evitou os gols.

Depois do sufoco inicial, só deu Bahia. O Tricolor assimilou o susto, se acertou em campo e cresceu. Jogando com consciência, atacando com rapidez e se defendendo com uma marcação forte e eficiente, o Esquadrão começou a trilhar o caminho da permanência na Primeira Divisão em 2003.

Aos 23 minutos, Nonato matou no peito, tirou do zagueiro e bateu no canto, mas Bosco fez uma intervenção milagrosa. Os torcedores mais pessimistas já começaram a pensar que seria mais uma tarde de gols perdidos do Tricolor e de Nonato no Brasileirão 2002 – nada feito.

No momento decisivo, onde o Bahia não poderia mais vacilar, seu ataque não deu sopa ao azar. Coube a Nonato a tarefa de comandar o Esquadrão, conduzindo seu time a vitória com três gols.

O show do matador começou aos 36 minutos. Após. Após grande jogada de Bebeto, a bola sobrou para Nonato, que tocou no cantinho e inaugurou o placar.

Na segunda etapa, o Tricolor manteve o padrão não deu chances para o adversário. Logo aos 3 minutos, Robgol foi lançado na área, deixou o goleiro no chão e rolou para Nonato fazer o segundo.

A Portuguesa esboçou uma reação aos 20 minutos, com Ricardo Oliveira, que marcou um golaço chutando da entrada da área, no ângulo.

Mas Nonato, de novo ele, jogou um balde de água fria nas pretensões da Lusa. Daniel invadiu a área e tocou para o matador fazer o terceiro dele na partida.

Aos 34, Bebeto Campos deu um ponto final a angústia da Nação Tricolor, completando de cabeça um cruzamento na área e fazendo o quarto do Esquadrão.

Aos 40 minutos, a Lusa ainda conseguiu diminuir, mas não foi nada que conseguisse estragar a festa do Bahia pela permanência na elite do futebol pentacampeão do mundo!