Notícias

Análises

Fisiologista fala sobre recuperação de atletas

19 maio 2019 | 09H32

O Bahia enfrenta o São Paulo neste domingo (19), pelo Campeonato Brasileiro, e na próxima quarta-feira (22), às 21h30, pela Copa do Brasil. O treinador Roger Machado, pela segunda vez este ano, ganhou uma semana inteira para realizar treinamentos e ajustes na equipe antes das duas partidas longe da capital baiana.

O comandante, durante os treinos, realizou diversos testes na equipe considerada titular e falou, em entrevista coletiva, sobre a possibilidade da permanência, ou não, do meia Eric Ramires entre os onze titulares e deixou o mistério no ar.

Grande surpresa do time em 2018, diferentemente dos outros companheiros, Eric Ramires não gozou do período de férias e logo se apresentou à Seleção Brasileira para disputa do Sul-Americano da categoria sub-20 no Chile. Retornou para o Bahia no mês de fevereiro e, desde então, entrou em campo em 21, sendo 19 como titular, das 33 partidas jogadas pelo Bahia no ano.

Quem conhece bem Ramires e detalhou este processo de recuperação do atleta foi Maurício Maltez, fisiologista do clube: “Ramires é um atleta de apenas 18 anos. Ele, ano passado, foi inserido ao time profissional no decorrer do ano e enfrentou uma mudança de treinos imediatada. Sem falar que o atleta, no fim do ano, não teve férias. Foi para seleção, onde encarou uma grande carga emocional e também de atividades para disputa do torneio. Pouco depois, como se mostrou peça importante dentro do time profissional, retornou da convocação e já atuou pelo Bahia”.

O meia, que estará à disposição para os dois jogos no Morumbi, já marcou dois gols nesta temporada, deu duas assistências e está entre os 10 atletas do elenco que mais jogaram neste ano.

Moisés

“Encontra-se apto para jogo e à disposição para enfrentar o São Paulo”.

Arthur Caíke

“Ele apresentou um problema muscular. No mesmo período foi constatado um problema odontológico, sendo necessário uma intervenção médica, o que também poderia estar interferindo na questão muscular. Consideramos ele, atualmente, dentro de um processo de transição. Nosso objetivo é que ele retome o condicionamento físico e depois seja devolvido ao grupo”.

Jackson

“É um atleta em processo de transição, um pouco mais avançada, mas depende do aval do cirurgião que realizou o procedimento cirúrgico na face. A partir desta liberação, já que está em boas condições físicas, ele voltará a compor normalmente o grupo”.